terça-feira, 22 de dezembro de 2015

White Christmas

Cena da série "Black Mirror" de Charlie Brooker

Tem gente que passa o Natal sozinha, debaixo de pontes, nas ruas nuas. Sob a luz dos enfeites luminosos, há gente que passa fome e nunca teve uma ceia.

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Desintoxicação

Cena do filme "Bicho de Sete Cabeças" de Laís Bodanzky

Vou me desintoxicar do mundo ativo
De tudo o que é vivo
De ter que acordar em mim

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

1999

Não fazia ideia de que no ano em que completei 9 anos, Hollywood teria um dos mais criativos e memoráveis períodos da sua história, com filmes que se tornaram marcos indeléveis para o cinema, como Matrix, Beleza Americana, O Sexto Sentido, Clube da Luta, À Espera de um Milagre, Magnólia, entre outros. Porém, minha proposta não é discorrer acerca dos filmes mais famosos, mas, enfatizar que, além dessas obras de arte, 1999 reservou uma gama de excelentes filmes norte-americanos desconhecidos do grande público e que abrilhantaram mais ainda esse ano único para a sétima arte.

Aqui destacarei 5 deles:

terça-feira, 27 de outubro de 2015

O Último Serviço

Cena do filme "Chinatown" de Roman Polanski

Deparou-se com o espectro no espelho. As glândulas sudoríparas em transe e o olhar atônito descortinavam a ilusão. Coragem, homem! De todos os serviços, esse, indubitavelmente, era o mais ingrato, ainda mais porque os letárgicos escrúpulos dispararam sinais vitais, como se quisessem respirar na ausência de oxigênio. 

sábado, 24 de outubro de 2015

De Volta À Oz - Parte I

Cena do filme "O Mágico de Oz" de Victor Fleming
 
Dorothy já passara da adolescência e, há tempos, não tinha notícias de Oz.
 
Aliás, Oz já se tornara uma lembrança longínqua que foi se esmorecendo em meio ao cotidiano atarefado da jovem.

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

E se os Monstros fossem Soltos?

Cena do filme "O Nevoeiro" de Frank Darabont

Em tempos de hospital
A chuva derrama a fumaça
Os ventos no litoral
Premeditam a desgraça.

domingo, 27 de setembro de 2015

Esfinge

Cena do filme "O Samurai" de Jean Pierre-Melville

Está tarde e os meus pensamentos mal conseguem se ordenar. Encontro uma caneta e tento me concentrar. Anote algo para não ser esquecido... E esqueço. 

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Paradoxo

Cena do filme "A Viagem de Chiriro" de Hayao Miyazaki

No ontem, acordei
As lágrimas, de saudade, ruíram
Como pode a criança que sou
Não ser mais a criança que era
Como é possível que o tempo tenha me sentido
E eu não tenha sentido o tempo
Se, para aquele menino, eu não existia
Então, por que agora existo?

domingo, 30 de agosto de 2015

Ciclo da Cana-de-Açucar por Thiago de Oliveira

Cena do filme "Eu, Tu, Eles" de Andrucha Waddington

Afastada de tudo o que existe de civilizado nesse mundo, aquela infinitude verde seguia tingindo de vida o que outrora era árido e morto, mas que hoje se tornara úmido e pantanoso. Imensidão. Assim deviam de estar pensando os belos tuiuiús que, por acaso, sobrevoavam a plantação no exato momento em que esta cena foi inventada. Verde-ardume da paisagem, canavial sem-fim, imponente enquanto houvesse braços e lâminas que o sustentasse. Para quem?

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

A Puritana - Parte I

Cena do filme "Ligações Perigosas" de Milos Forman

Era época de festividades na corte inglesa, os períodos beligerantes haviam cessado e o país vivenciava uma prosperidade invejável.

Duquesa de Lancaster, mulher suntuosa e assertiva, terminava de cuidar das minúcias da tradicional festa de sua família. Todos os detalhes necessitam de uma precisão incorruptível! O imenso palácio abrigava uma infinidade de cômodos, corredores infindáveis e adornos luxuosos. Toda a opulência da aristocracia inglesa parecia estar contida naquele espaço. 

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Movimento

Cena do filme "Corra Lola, Corra" de Tom Tykwer


Corra!
Com todas as forças
Perca-se de vista
Vire poeira na ribanceira
Nem pense no que restou na pista

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

É difícil ficar zangada quando há tanta beleza no mundo

Cena do filme "O Profissional" de Luc Besson

Ela acredita na beleza, na sutileza de uma flor discreta. Ela respira amor e isola a dor para outras avenidas. Não há o que se preocupar, pois a vida é uma brincadeira que insistimos em brutalizar.

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Caos no Tribunal

Cena do filme "A Professora de Piano" de Michael Haneke

Eu me sentei na cadeira estofada, observei as fofocas, eram sobre aquele dia, só podiam ser. Não iriam falar sobre futebol, nem criticar o governo pelo seu descaso com a educação. O assunto era um só: eu e ele. Levantei-me e me retirei daquela dissimulação barata, podiam ser bons professores, porém, eram péssimos atores. 

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Eu não me importo se vai doer

Cena do filme "Beleza Americana" de Sam Mendes

Somos o mesmo osso que se parte
Somos o mesmo sangue que escorre
Somos a mesma carne que apodrece
Somos essa fagulha de tempo

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Teias

Cena do filme "O Homem Duplicado" de Denis Villeneuve

Lívia se sentia morta, encarcerada há anos naquela rotina, os mesmos movimentos e percursos com horários bem definidos. Acordava às 8h00, acionava o modo soneca do celular para 5 minutos de um repouso ilusório, ou seja, às 8h05 estava de pé e se espreguiçando. Em seguida, encaminhava-se para o banheiro, localizado do lado da cama, onde umedecia a superfície larga do rosto com um sabonete de erva doce para hidratar a pele, que nem era tão ressecada, mas fazia questão de lavá-la três vezes. Ao terminar de enxugá-la, os números digitais do seu relógio de pulso sinalizavam 8h18. Automaticamente, dirigia-se ao seu guarda-roupa, onde residiam as variadas vestimentas que possuía, porém, ela optava sempre pelo mesmo conjunto: camisa social de manga comprida, calça social azul marinho e sapato preto. 

domingo, 21 de junho de 2015

Dissociação

Cena do filme "A Origem" de Christopher Nolan

Eu preciso ir embora

Não sei o que farei
Nem o caminho a seguir
Só sei que preciso ir.

domingo, 7 de junho de 2015

Declaração de Amor Moderno

Cena do filme "Frances Ha" de Noah Baumbach

Pedro, eu não tenho mais certeza se é amor, aliás, essa resolução talvez nunca tenha existido em meu ser. Não posso te garantir que não tentei, embora eu tenha consciência de que poderia ter resistido mais, ter tido maior paciência. Acontece que, talvez, eu tenha perdido a capacidade de amar alguém igual ou mais do que a mim mesma. 

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Mad Max e a Redução da Testosterona em Hollywood

Cena do filme "Mad Max: Estrada da Fúria" de George Miller

O novo "Mad Max: Estrada da Fúria" chegou para quebrar os paradigmas empoeirados do cinema de ação. Aqueles clichês que anestesiam, tamanha suas repetições, previsibilidades e fórmulas esquemáticas. Táticas elaboradas para capturar a massa letárgica. 

Aqui abordo algumas dessas bem-vindas subversões:

segunda-feira, 18 de maio de 2015

A Noite em que o Mundo não Desapareceu

Cena do filme "As Vantagens de Ser Invisível" de Stephen Chbosky

Bebi quatro doses de vodka ou foram cinco? Amigo, mais uma dose de tequila, por gentileza (ainda consigo ser educado). Não há tempo a perder, agora as horas vão acelerar mais ainda, é o que sempre acontece. O álcool distorce totalmente a percepção da realidade, inclusive do tempo. Já são três da manhã, mas tinha acabado de entrar na festa e ainda nem meia-noite era.

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Não Fui Eu!

Cena do filme "Eles Vivem" de John Carpenter

Durante essa breve estadia no "nosso" planeta, desenvolvemos os hábitos extremamente saudáveis da incomunicabilidade e da negação. Nega-se o que não se compreende, omite-se o que é inconveniente. O ser humano é assim, sempre coerente.

terça-feira, 21 de abril de 2015

Praia de Nudismo

Cena do filme "Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças" de Michel Gondry

Ela gosta de andar nua
Com o corpo e o coração expostos
Não importa quem atravessa a rua
Ela encara os rostos.

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Reino das Palavras

Cena do filme "Matrix" dos Irmãos Wachowski

Tirem-me daqui, do ócio, do precipício dos ideais, da alienação disfarçada de vida, da caverna dos hipócritas. Escuto sirenes, estão vindo me buscar? Não, mais um engano programado, mais um sinal da minha idiossincrasia perante as pressões da sociedade. Levem-me daqui, mas não me façam voltar a ser eu de novo, não quero o mesmo gosto de sangue, nem o odor dos cemitérios. Venham palavras!!

sábado, 11 de abril de 2015

A Maça

Cena do filme "Noé" de Darren Aronofsky

Quem nunca quis algo proibido? Algo que subvertesse as convenções da sociedade e desafiasse a ordem moral das pessoas.

sexta-feira, 27 de março de 2015

Olívia & Olívia

Cena do filme "Closer" de Mike Nichols


A gasolina disparou junto com o dólar, a corrupção do governo se alastra pelas retinas populares, a presidente, assim como todos os outros fantoches, vendeu ilusões que, obviamente, fugiam ao seu controle. Impeachment? Intervenção Constitucional Militar? Vamos gritar pelo direito de não reivindicarmos mais nossos direitos? Qual a solução? O que fazer?

terça-feira, 17 de março de 2015

"A Surpreendente Verdade que Nunca te Contaram Sobre Tudo"

Cena do filme "Asas do Desejo" de Wim Wenders

Perspectivas. Minhas esperanças. Felicidade. Mudanças constantes. “Fantoche” do sistema. Palavras paralelas, incompletas, inexpressivas. Coragem. Miragem. Pensamentos ocultos. Medo de viver, conhecer, reconhecer. Impotência. Conformismo. Revolta. Tudo parece tão pequeno. Indiferença. Paciência infinita? Dinheiro, por que é tão importante? Passaporte para a felicidade? E o mundo continua girando.

segunda-feira, 16 de março de 2015

IceMen

Cena do filme "Sob a Pele" de Jonathan Glazer

Tão distante, tão gelado
Nada a declarar
Sentimento nulo
Longe de tudo
Longe de qualquer aproximação
E a carcaça intransponível
Abriga um coração desfigurado
Soterrado na neve
Que envelhece calado.

sexta-feira, 6 de março de 2015

Disciplina

Cena do filme "Whiplash" de Damien Chazelle 

Hoje, apenas faça
Não desfaça
Não enrole
Desenrole as horas

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Labirinto

Cena do filme "Pi" de Darren Aronofsky

Quando os dias e as noites se fundem em uma massa disforme e a razão se torna uma equação indecifrável, é um sinal de alerta para os enfermeiros.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

O AnTi-cLiChÊ - PaRtE III

Cena do filme "Pânico" de Wes Craven

O canto dos pneus, o velocímetro inquieto, o preponderante suor na camisa verde-escura e sem estampas, os semáforos que pareciam intermináveis e, propositalmente, vermelhos. Anibal nunca havia dirigido tão rápido na vida e ofendido tanta gente no trânsito. Os corpos no banco traseiro balançavam e se chocavam entre si quando o Gol percorria as curvas sinuosas do trajeto, era uma bagunça de braços e pernas que acentuava a apreensão de Anibal.

domingo, 8 de fevereiro de 2015

O Anti-Clichê - Parte II

Cena do filme "Cova Rasa" de Danny Boyle

Era um domingo insosso, pendurado entre a euforia do sábado e a melancolia da segunda. Seria mais um dia esquecível, a não ser por aquele arcaico Gol Quadrado que já despertava olhares curiosos na vizinhança, devido ao percurso repetitivo e a velocidade vagarosa com que se locomovia. Os pneus inquietos refletiam a ansiedade de Anibal. Já havia localizado a formosa residência da Rua 3 de Maio, todavia, antes do reencontro, resolveu vislumbrar as enormes casas do bairro nobre. Bando de burgueses hipócritas!

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

O Anti-Clichê - Parte I

Cena do filme "Os Sonhadores" de Bernardo Bertolucci

Sétimo andar de um prédio decrépito, o chão de concreto repleto de buracos, os vidros quebrados, quase não há móveis e os poucos ali, já estão em decomposição. Imaginem o cenário de um filme de terror, um lugar soturno, lúgubre, sem eletricidade, sem qualquer sinal de conforto, um silêncio aterrador, somente cortado por pombos que, ocasionalmente, batem suas asas em direção às janelas destruídas. Há também uma predominante escuridão, amenizada, apenas, por uma luz estridente vindo de uma desgastada câmera de filmagem. 

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Quase

Cena do filme "Procura-se Amy" de Kevin Smith

E eu ainda te procuro nos resquícios do passado
Nas marcas de poeira, na casa de madeira
Naquele cenário, hoje, pálido
Procuro-te em outros olhos, corpos
Portos de ilusões, 
Na seca das estações,
E só vejo fantasmas desfigurados.

domingo, 18 de janeiro de 2015

Orlas do Niilismo

Cena da série "True Detective" de Nic Pizzolatto

Aviso: cuidado para não caírem no abismo, ele possui uma profundidade imensa e, uma vez lá dentro, é quase impossível sair. Aconselho a permanecerem na borda. 

E se perdêssemos o sentido de tudo? E se soubéssemos que nada vale a pena? Por que fazemos o que fazemos? E se todas as dúvidas existenciais fossem apenas um alívio para buscar significado onde não existe nada? Para que acordamos todos os dias? Seria o ser humano um animal pretensioso que, apenas, tenta justificar a sua existência e a sua importância com teorias absurdas? Somos mais relevantes que os pernilongos que matamos? O mundo seria um lugar melhor sem nós? Denominamos sentimentos que já existiam muito antes de nós? Somos um mero acidente? A vida é apenas um sonho com um significado distorcido, com o desejo de ser 'alguém'? Por que o nosso pós-morte seria diferente do pós-morte de um cachorro na rua?

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Vista-me e se conhecerás

Cena do filme "Seven" de David Fincher

Só depois de raspar seus cabelos eu pude sentir aquela superfície aveludada, o crânio dela era tão macio que eu tinha vontade de amassar com um martelo, as suas lágrimas eram tão reluzentes que refletiam o meu gozo. Não vou dizer que eu não sou insano, mas e daí? Sou parte dessa merda que me jogaram, estou, apenas, devolvendo a cortesia.